SETEMBRO AMARELO: ALERTA SOBRE O SUICÍDIO É TEMA DE SIMPÓSIO EM FRONTEIRA

De acordo com as estatísticas, ocorre no mundo, um suicídio a cada 40 segundos. No Brasil são 32 por dia. Diante desses números alarmantes, divulgados pelo Ministério da Saúde, o governo fronteirense, realizou o 1º Fórum de Prevenção ao Suicídio, com a intenção de alertar e tentar ajudar pessoas que estão precisando de atenção e compreensão, em virtude de processo depressivo.

De acordo com a secretária de Saúde de Fronteira – Márcia Toledo, uma pesquisa realizada pela Unicamp/SP, revelou que 17% de brasileiros pensam seriamente em cometer suicídio no decorrer da vida. E nove, entre cada 10 suicídios, poderiam ser evitados.

1º FÓRUM

Preocupado com essa situação, o Departamento de Saúde Mental de Fronteira, juntamente com a Secretaria Municipal de Saúde, realizaram na quinta-feira, 27 de setembro: o “I Fórum de Prevenção ao Suicídio”. A ação contou com a participação de aproximadamente 120 pessoas, entre profissionais da saúde, educadores e convidados.

Durante as palestras foram abordados diferentes aspectos sobre o tema. A psiquiatra – Isabella Morena Liso informou dados importantes sobre a incidência dos casos de suicídio no Brasil e no mundo. “Diante do aumento expressivo das taxas de suicídio é importante que se debata o tema para proporcionar o reconhecimento dos sinais de alerta”, afirmou a psiquiatra.

Já o psicólogo – Marlon Ribeiro do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) ressaltou a importância do diálogo e dos cuidados com a saúde emocional. Com uma linguagem consciente e participativa, o psicólogo falou que precisamos criar o hábito de ouvir e compreender o que outro diz, com calma e atenção, sem julgamentos.

Abordando o suicídio enquanto violência autoprovocada, a coordenadora da Vigilância em Saúde do município, Wanessa Christina de Souza Neiras apresentou dados coletados em 2017. Em sua apresentação reforçou a importância da criação de uma rede de atenção à pessoa vítima de violência, bem como, a elaboração de um fluxo de atendimento. No encerramento do Fórum, os participantes realizaram uma breve caminhada em Prol à Vida, com trajeto rumo ao centro da cidade, nas mediações da Praça da Vitória.

INVESTIMENTOS

O governo – Marcelo Passuelo (MDB) remodelou completamente o Departamento de Saúde Mental do município. Com base no último levantamento trimestral, a atual gestão do município, investe cerca de R$ 98 mil com medicação, destinada para pessoas que dependem de tratamento psiquiátrico, ou seja, aproximadamente R$ 32,6 mil por mês.

Além disso, nesse governo foi contratada uma médica psiquiatra, que atende em média, 60 pacientes por mês.
O setor de Saúde Mental ainda conta com 5 psicólogas, que atendem 300 pessoas/mês, e uma fonoaudióloga, que consulta cerca de 185 pessoas/mês. Para a Apae de Fronteira, o governo disponibilizou 1 psicóloga, que realiza 70 consultas/mês e 1 Terapeuta Ocupacional, que atende 40 pessoas/mês.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *